Aço inoxidável e sua manutenção e limpeza

12 limpeza

O aço inoxidável, além de ser bastante resistente, é um tipo de material que exige pouca manutenção. Com uma higienização adequada e rotineira, pode-se manter a qualidade do aço inox inalterada, garantindo sua resistência à corrosão.

Para conseguir a máxima resistência à corrosão do aço inoxidável é necessário usar os produtos adequados e fazer os procedimentos corretos, o que exige cuidados até mesmo no caso de sujeiras mais resistentes, não usando métodos que possam agredir o material, mantendo sua superfície de acordo com sua fabricação.

Continuar lendo

As ligas especiais do aço inoxidável

09 aco inox

As ligas especiais de aço inoxidável são produzidas a partir de metais puros, que, por suas características, não oferecem a qualidade necessária para a fabricação de produtos utilizados nas indústrias e organizações.

Com a mistura em ligas especiais, através do aquecimento que funde os metais, puros, o aço inoxidável é criado para atender a todas as necessidades. As propriedades das ligas resultantes irão servir para cada aplicação específica, devidamente determinadas pelos metais usados, pela sua quantidade na liga, pela estrutura do arranjo cristalino em seu interior e pelos tratamentos adicionais exigidos para cada aplicação.

Assim, por exemplo, o aço é formado pela liga de 98,5% de ferro, de 0,5 a 1,7% de carbono e mínimas quantidades de silício, oxigênio e enxofre, sendo aplicado em peças metálicas que exigem maior tração, tornando-se mais resistentes que o ferro puro. O aço, depois de pronto, serve para produção de outras ligas metálicas.

A principal liga metálica criada a partir do aço puro é o aço inoxidável, que leva 74% de aço, 18% de cromo e 8% de níquel, entre outros metais. Por ser resistente à corrosão, o aço inoxidável se tornou a liga preferida para as mais diversas aplicações, desde tanques a peças de veículos, utensílios de cozinha, decoração, talheres, equipamentos hospitalares e muitos outros.

Quantidades diferentes de metais para aços inoxidáveis diferentes

A composição inicial das ligas para criação do aço inoxidável foi se transformando ao longo do tempo. Hoje, o aço inox é aquele que contém um mínimo de 10,5% de cromo como principal elemento, havendo um limite máximo de 30% desse metal para evitar a corrosão.

A resistência à corrosão no aço inoxidável é obtida pela formação do óxido protetor do cromo, que impede o contato do ferro com a atmosfera, evitando o desenvolvimento de ferrugem. Outros elementos foram acrescentados à liga do aço inoxidável, como cobre, titânio, alumínio, nióbio, silício, nitrogênio, níquel, molibdênio, alumínio e selênio, obtendo características mecânicas diferenciadas para cada tipo de aplicação.

Com essas diferenças nas ligas metálicas, criou-se uma classificação para o aço inoxidável, dividindo-o em cinco famílias, de acordo com sua microestrutura, com a estrutura cristalinas das fases presentes na liga ou com o tratamento térmico aplicado.

Essas famílias de aço inoxidável são conhecidas como aços martensíticos, ferríticos, austeníticos, duplex (austenítico e ferrítico e endurecíveis por precipitação.

O sistema de divisão do aço inoxidável em famílias obrigou também à criação de sistemas de numeração para definir o tipo de aço e cada liga, utilizando-se a numeração da AISI – American Iron and Steel Institute, da UNS – Unified Numbering System ou de uma designação estabelecida pelo desenvolvedor da liga.

Entre os sistemas, o da AISI é o mais utilizado no mundo todo, classificando o aço inoxidável através de três dígitos. Para os aços austeníticos utilizou-se as séries 200 e 300 e para os aços ferríticos e martensíticos, a série 400.

Na série UNS está o maior número de ligas de aço inoxidável, já que essa classificação incorpora os aços mais recentemente desenvolvidos. A série apresenta as ligas de aço através da letra S seguida de 5 números. Os três primeiros representam a numeração AISI, quando ela existe para a liga, e os dois últimos são dois zeros, se o aço for comum na designação AISI. No caso de ligas diferentes, isto indica que o aço possui alguma característica específica reconhecida pela UNS.

Aplicações das ligas de aço inoxidável

Cada liga de aço inoxidável atende uma determina aplicação. Assim, temos a seguinte divisão das famílias de ligas:

1.    Martensíticos

São um tipo de aço inoxidável aplicado em equipamentos e materiais que exigem resistência à tração, à fluência e à fadiga, com moderada resistência à corrosão e utilização em temperaturas de até 650°C.

O aço inoxidável da família dos martensíticos são aplicados em turbinas a vapor, turbinas a gás, motores a jato, tubulações de vapor, reaquecedores de geradores a vapor e tubulações superaquecidas.

2.    Ferríticos

A família do aço inoxidável ferrítico é usada em sistemas de exaustão de veículos, recipientes de alimentos, trocadores de calor e tubulações contendo soluções de cloreto e água marítima.

3.    Austeníticos

O aço inoxidável austenítico são mais resistentes à corrosão da atmosfera, em diversas soluções aquosas, à presença de alimentos, em ácidos oxidantes como o nítrico e em soluções diluídas com clores e ácidos sulfurosos.

4.    Duplex

Com maior resistência mecânica, o aço inoxidável duplex pode ser utilizado em espessuras menores, não podendo, no entanto, ser utilizado em temperaturas acima de 300°C, principalmente por perder suas características mecânicas. Sua utilização é feita em indústrias de gás, petróleo, petroquímica, papel e polpa, sendo eficiente na presença de meios contendo cloretos.

5.    Endurecíveis por precipitação

A família do aço inoxidável endurecível por precipitação possui boa resistência mecânica, tenacidade e ductilidade, com resistência à corrosão de moderada a boa. A aplicação desse tipo de aço é direcionada para a indústria aeroespacial e de alta tecnologia.

Como surgiu o aço inoxidável na história

09 aço inox

Como muitas outras substâncias usadas pelo homem no decorrer de sua história, o aço inoxidável nasceu de um golpe de sorte, pura coincidência, embora tenha sido resultado de uma pesquisa prolongada.

Em 1907, o inglês Harry Brearley, operário de uma fábrica de aços em sua cidade natal, Sheffield, trabalhava no laboratório, procurando criar novos tipos de aço.

A pedido dos fabricantes de armas, o jovem Harry começou a investigar novas ligas metálicas, que tivessem maior resistência ao desgaste que ocorria no interior dos canos de armas de fogo, provocado pelos gases dos estopins.

Continuar lendo

O que pode provocar a ferrugem no aço inoxidável?

06 Ferrugem aço inox

A manutenção feita de forma regular e periódica é de fundamental importância para garantir a durabilidade de qualquer produto ou equipamento desenvolvido a partir do aço inoxidável. A limpeza deve ser feita com a utilização de uma solução de sabão neutro, devendo o equipamento ser enxaguado e seco para garantir que não surjam pontos de ferrugem.

A recomendação é válida desde um tanque de aço inoxidável numa indústria química, farmacêutica ou de alimentos até um eletrodoméstico.

Continuar lendo

Como se forma a camada de filme passivo no aço inoxidável?

03 Aco inox

A proteção do aço inoxidável possui uma característica que vem sendo estudada há diversos anos, havendo interpretações as mais diversas sobre essa passividade. Os filmes passivos que determinam a proteção do aço inox são extremamente finos, com espessura aproximada de 30 a 50 angstrons (cada angstron é resultado da divisão de 1 milímetro por 10 milhões de vezes).

Essa proteção oferece aos especialistas dificuldades para definir a forma e a natureza do filme passivo no aço inoxidável. Entende-se que a formação do filme é favorecida pela presença de meios oxidantes.

Continuar lendo

Aço galvanizado e aço inoxidável: qual a melhor escolha?

14 Galvanizado

Existem algumas ligas de aço mais resistentes à corrosão, como é o caso do aço inoxidável. O inox é um tipo de aço que apresenta maior resistência à corrosão da atmosfera e de outros ambientes, uma vez que é produzido a partir da liga com outros metais, como o níquel e o cromo, tornando o ferro menos reativo ao meio ambiente.

Uma das dúvidas frequentes, principalmente quando é necessário renovar uma estrutura de metal, é a utilização do aço inoxidável ou aço galvanizado. Esses dois tipos de aço apresentam características diferentes, podendo ser utilizados em determinadas situações.

Continuar lendo

Diferenças entre o aço inoxidável e o aço carbono

11 Aço inox

O aço inoxidável apresenta uma grande e principal diferença do aço carbono: em sua composição química existe um percentual mínimo de 10,5% de cromo.

O aço carbono é uma liga metálica que leva em sua composição basicamente o ferro e o carbono, com um percentual entre 0,008 e 2,11% de carbono, diferente do ferro fundido, que também é uma liga idêntica, mas com teor de carbono entre 2,11 e 6,67%.

O aço inoxidável, por sua vez, pode ter teores de cromo mais elevados, dependendo de sua necessidade, além de terem o acréscimo de níquel, molibdênio e outros metais. A presença do cromo é que torna possível a formação de filmes passivos, resistentes à corrosão e o níquel é quem ajuda na melhoria das propriedades mecânicas do aço.

Como é o aço carbono

O aço carbono é normalmente considerado como tal quanto as proporções de outros elementos não excedam determinadas porcentagens. Assim, o aço carbono não pode ter mais do que 1,65% de manganês, cobre e silício, sendo que o cobre não pode ultrapassar 0,4%.

Ao reagir com o oxigênio do ar, o aço carbono forma uma camada superficial de óxido de ferro, uma camada porosa, que permite quer o metal continue oxidando e produzindo a corrosão, ou seja, a ferrugem.

Como corrosão devemos entender a destruição do material sob ação química ou eletroquímica do meio ambiente em que o aço está sendo usado.

As utilizações do aço inoxidável e do aço carbono

O aço inoxidável e o aço carbono são metais utilizados nas mais variadas aplicações comerciais e industriais. Sua principal diferença está na variação dos componentes de sua liga, que os tornam úteis para determinadas aplicações.

O aço carbono tem como vantagem um ponto de fusão mais baixo, oferecendo maior maleabilidade e melhor distribuição de calor, mas não está livre da oxidação e da corrosão. Por sua vez, o aço inoxidável possui o teor de cromo que forma a camada invisível que evita a corrosão e a ferrugem no metal.

O aço carbono e o aço inoxidável apresentam diferenças básicas, inclusive visualmente, com o primeiro apresentando o acabamento fosco, comparável ao ferro fundido, enquanto o segundo é bastante brilhante e, dependendo da concentração de cromo em sua liga, podendo até ser confundido com um espelho.

O revestimento do aço inoxidável fornecido pelo cromo faz dele um material muito mais atraente, não havendo necessidade de pintura ou de qualquer tratamento especial. Além disso, o aço inoxidável também é muito mais funcional, podendo ser usado na construção, em materiais decorativos, na indústria química e de alimentação, entre outras, enquanto que o aço carbono é preferencialmente mais aplicado em equipamentos ou peças que não ficam expostos, já que é muito mais frágil.

Reciclagem do aço inoxidável

Uma das grandes vantagens do aço inoxidável é sua propriedade de reciclagem. É um tipo de aço totalmente reciclável, podendo ser reaproveitado em outras aplicações.

A capacidade de reciclagem, tanto em razão das normas ambientais cada vez mais rígidas, quanto em virtude da redução de custos, se torna um fator chave para sua escolha na indústria e em outros segmentos.

Os componentes da liga do aço inoxidável podem ser separados e recuperados, podendo ser adicionados em outras ligas ou participando de novos processos de fabricação do material.

A sustentabilidade do aço inoxidável

O aço inoxidável, desde que escolhido da forma correta e aplicado segundo os padrões, com manutenção de forma adequada, permanece útil e atraente durante anos. Mesmo depois de muito tempo de uso, o aço inox pode recuperar sua aparência original ou pode ser reutilizado em outras aplicações.

O aço inoxidável é considerado um material ecologicamente correto, atendendo as normas de sustentabilidade exigidas pelas regras ambientais.

Com suas características, o aço inoxidável se torna uma solução prática, competitiva e efetiva para muitas aplicações. Em razão de suas propriedades, pode se usado para a indústria, o comércio, equipamentos domésticos, uso hospitalar e até na decoração.

O aço inoxidável e a ferrugem: pode haver essa união?

07 Enferruja

Existem diversos tipos de aço inoxidável, cada um com suas características específicas. Assim, um revestimento externo deve ser diferente do revestimento interno, como no caso do aço para arquitetura e do aço para a indústria farmacêutica, por exemplo.

Alguns tipos de aço inoxidável são mais suscetíveis à ferrugem e à corrosão do que outros, e isso pode ser observado em aparelhos eletrodomésticos que, em muitos casos, apresentam pontos de oxidação, mesmo tendo sido fabricados com aço inox.

Continuar lendo

A versatilidade do aço inoxidável e seus usos

01 A versatilidade do aco inoxidavel

O aço carbono é a base para a composição da liga que irá gerar o aço inoxidável, conferindo a ele maior nível de resistência mecânica. A primeira etapa na produção do ferro é responsável pela fabricação do ferro gusa, a mesma base para todas as demais composições.

Numa segunda fase, quando os elementos da liga do aço inoxidável são reunidos para a formação da liga é que se determina a que tipo de família irá pertencer o produto final, desde os mais maleáveis até os mais rígidos.

Continuar lendo

Aplicações do aço inoxidável austenítico

06 aço inoxidável

A família de aço inoxidável austenítico, seguindo a nomenclatura AISI, o sistema americano para classificação dos aços, American Iron and Steel Institute, é a mais conhecida e utilizada para aplicações industriais. Entre os aços austeníticos, os aços inox dos tipos 316 e 304 são os mais populares.

O aço inoxidável 304 é bastante semelhante ao aço 316, contendo 2% de molibdênio. O aço inox 316 possui como característica maior resistência à corrosão sob tensão, resistindo melhor às corrosões localizadas, como no caso de corrosão por pite.

Continuar lendo