A história do vinho e do suco de uva

A história do vinho e do suco de uva

O suco de uva, que atualmente é muito produzido em tanque de aço inox por indústrias do segmento, surgiu tempos depois do descobrimento do vinho.

O vinho, de acordo com uma lenda, surgiu no ano 6.000 a.C., no reino de Jamshid, onde o rei ordenava que seus súditos armazenassem uvas em grandes jarros para que a família real pudesse comê-las também fora da época da colheita. Para evitar que seus súditos comessem as uvas, o rei de Jamshid os fez acreditar que o líquido fermentado pelas uvas era veneno e quem não fosse da família real e o consumisse morreria. Certo dia, uma moça do reino, pensando que o líquido produzido pelas uvas era veneno, tentou o suicídio bebendo-o. No entanto, ao invés de morrer, ela apenas sentiu-se alegre e mais tarde sonolenta. Assim descobriu-se o vinho e o rei de Jamshid ordenou que a bebida fosse produzida em grande escala.

Não se sabe se a história do rei de Jamshid é verídica, porém sabe-se que a produção de vinho no Brasil se deu mais tarde, principalmente na região sul, por imigrantes italianos.

Embora não se saiba ao certo onde o suco de uva, que atualmente é produzido em tanques de aço inox com misturador de alta tecnologia, tenha surgido, estudiosos da área apontam a origem para a Grécia e Roma antiga. O suco de uva, porém, só passou a ser conservado sob a forma integral após alguns estudos realizados pelo químico francês Louis Pasteur, que desenvolveu a técnica de pasteurização. No início, o suco fermentado de uva tinha mais consistência e era utilizado como atualmente utilizamos o mel, para adoçar alimentos e na preparação de doces e sobremesas. Com o passar dos anos, o suco de uva integral passou a ser o que conhecemos hoje.

Nos Estados Unidos, o primeiro suco de uva a ser processado foi preparado por um dentista de Nova Jersey, conhecido como Dr. Thomas Welch, no ano de 1869. Junto a sua esposa e filhos, Thomas colheu algumas uvas de um parreiral que havia em seu quintal, extraiu o suco com bolsas de pano e o conservou em garrafas de vidro. Welch aplicou com sucesso a técnica de Pasteur e assim abriu mercado para a atividade de fabricação de suco industrial.

Já no Brasil, assim como ocorreu com o vinho, a produção do suco de uva se deu com maior intensidade na região Sul do país em cidades como Flores da Cunha, Garibaldi, Caxias do Sul e Bento Gonçalves, sendo essa última a capital nacional do vinho e do suco de uva. Os colonizadores italianos trabalharam arduamente na produção de suco e vinho. Foram eles que enxergaram as perspectivas do mercado nacional e internacional, que impulsionaram o desenvolvimento de maquinário moderno para a produção do vinho e suco de uva.

Atualmente existem tanques de aço inox com cintas de refrigeração, por exemplo, e outros elementos da mais alta tecnologia. Esses tanques de aço para vinho, permitem que o suco seja fermentado e armazenado em um mesmo equipamento, facilitando o trabalho dos produtores.

Hoje em dia, cerca de 15% das uvas produzidas na Serra Gaúcha são processadas com vista à produção de suco de uva concentrado. Há ainda uma parcela menor, cuja destinação é a produção de suco de uva integral ou adoçado. Assim como no início da produção do suco de uva no Brasil, ainda hoje a maior parte das empresas produtoras está localizada no Rio Grande do Sul, mais especificadamente na região da Serra Gaúcha.