Tanque de aço inox para fermentação.

Cada etapa da vinificação, o trabalho minucioso do agricultor, até a chegada do produto final às distribuidoras, são marcados pela atenção de todos envolvidos, porque estes prezam que a bebida tenha uma ótima qualidade.  

Conseqüentemente o vinho passa por muitas etapas até chegar às prateleiras e, desta forma, a fermentação é fundamental para que o vinho seja de qualidade. Acima de tudo este processo é feito no tanque de aço inox para fermentação.

Portanto, com um produto de ótima qualidade é mais fácil agradar o paladar do consumidor e tornar seus dias mais felizes.

Continuar lendo

Esgotador para tanque de aço inox.

Atualmente a presença do aço inox nos nas indústrias de vinificação assegura a qualidade do vinho. Desta forma em todas as etapas na produção do vinho, como a colheita, extração, prensagem, fermentação, até o envelhecimento e a embalagem é muito importante à utilização dos tanques de aço inox. Existem muitos processos importantes na produção do vinho e um deles é feito pelo esgotador para tanque de aço inox que é responsável pela separação da parte sólida do mosto.

Tanque de aço inox.

Portanto o aço inox é muito importante na indústria alimentícia, pois ele oferece maior segurança em razão da facilidade da sua manutenção, limpeza e higiene.

Continuar lendo

Remontador para tanque de aço inox

A indústria de alimentos e bebidas enfrenta muitos desafios para conseguir promover uma correta armazenagem das matérias primas. Por isso é fundamental ter um remontador para tanque de aço inox em seu tanque de armazenamento. Assim garante a qualidade dos produtos armazenados evitando sua contaminação ou deterioração. Mas claro, sempre com o objetivo de atender melhor o produtor e de acordo com suas reais necessidades.

Remontador para tanque de aço inox

Os tanques de aço inox utilizados garante a qualidade da matéria prima e dos produtos finais armazenados, além de ser atóxico, durável e de fácil higienização. A resistência à oxidação do aço inox garante que a ação das bactérias, fungos e álcool ocorra sem a transferência de odores ou gosto indesejáveis. Além disso, o aço inox tem baixo custo de manutenção, além de ser resistente a altas temperaturas, a corrosão e a variação de temperaturas.

Continuar lendo

Tanque fermentador para vinho e pipa inox

Desde milênios, o vinho é uma das bebidas mais produzidas mundialmente. Ao lado do início de nossa civilização, o vinho acompanhou a evolução tecnológica passando pela Europa e chegando até as Américas. Dessa evolução surgiu o tanque fermentador para vinho. Desde então, o avanço tecnológico ajudou o vinho, melhorando a sua qualidade.

Tanque fermentador para vinho: como funciona

A produção dos vinhos aumentou consideravelmente desde a criação dos tanques de aço inox. Então os vinhos que antes eram armazenados dentro de barris de carvalho são, hoje, fermentados e armazenados nos tanques de aço inox. Em conjunto da pipa inox para vinho 50 mil litros, os tanques de aço trabalham a favor de uma maior qualidade do produto armazenado. Surpreendentemente, tanto as grandes indústrias quanto os pequenos produtores preferem o uso dessas ferramentas para trabalhar. Portanto, as implicações dessas ferramentas são positivas dentro processo de produção.

Continuar lendo

Tanque inox isotérmico para vinho

Tanque isotérmico para vinho

Dentre os principais modos de utilizar o tanque inox isotérmico existem dois principais. Eles são: a fermentação e o armazenamento de bebidas. Geralmente, os tanques de inox isotérmicos fazem o trabalho de fermentação e armazenamento de bebidas como cachaça e vinho. Todavia, o vinho também pode estar na lista dos produtos que podem ser armazenados dentro desses tanques.

Além disso, a produção de tanque de aço inox para vinho aumentou drasticamente por conta do avanço das tecnologias. Logo depois da descoberta da liga de ferro e cromo, surge o aço inox. A partir daqui, os tanques foram produzidos em massa. A descoberta das vantagens desse produto e dessa composição acarretaram em um grande investimento nesse mercado. Investimento esse que diversas vezes é realizado por conta da possibilidade de melhorar em geral o processo de produção de vinho. Dessa maneira, o tanque inox isotérmico se difundiu no meio da produção vinícola.

Continuar lendo

Tanque de aço inox: produção de vinho

Dois dos principais usos que o tanque de aço inox tem são utilizados frequentemente por vários tipos de empresas. A fermentação e estocagem de bebidas alcoólicas, por exemplo, é só um uso desses tanques.

Foto com vinho produzido em um tanque de aço inox

Neste artigo falaremos sobre os tipos de tanque de aço inox para fermentação, estocagem e também dos esgotadores e remontadores.

Continuar lendo

A cachaça e a utilização do tanque de aço inox

Imagem relacionada

A cachaça é, certamente, a bebida mais popular entre os brasileiros, desde os tempos do Brasil Colonial. Segundo as lendas, ela foi descoberta pelos escravos responsáveis pela produção de produtos derivados da cana através dos pingos que se aglutinavam no teto e que, consumidos, ofereciam uma sensação de alegria e bem-estar (daí o nome pinga). Hoje, sua produção é muito mais complexa, utilizando tanques de aço inox e outros equipamentos.

Durante certo tempo, a cachaça foi proibida pelos portugueses, já que ameaçava o comércio de vinho. No entanto, em razão do seu sabor, hoje é uma das bebidas mais populares em nosso país.

Mesmo não tendo uma forma tão refinada quanto a produção de vinho, a produção de cachaça exige uma série de cuidados, com segredos e técnicas específicos de cada produtor. Na maior parte da produção, no entanto, o aço inox é uma matéria sempre presente, conferindo maior qualidade ao produto final.

Como é feita a cachaça

A cachaça é produzida a partir da fermentação do caldo de cana. A produção começa com a colheita da cana, exigindo alguns cuidados com os gomos, que não podem rachar para não causar danos à bebida.

Os produtores mantêm a maior atenção com a matéria prima, já que a cana deve estar madura e fresca para gerar uma cachaça com maior qualidade. Além disso, a cana deve ser totalmente limpa e precisa passar pela moagem em um máximo de dois dias após a colheita para não perder sua qualidade.

A primeira etapa na produção da cachaça, portanto, é a moagem. A cana passa pela moenda, que é uma máquina composta por cilindros para retirar o caldo da cana, que compõem pelo menos 70% da massa total. O restante, ou seja, o bagaço, é reaproveitado no processo de produção, sendo utilizado como combustível para a fornalha do alambique.

A partir da moagem, o caldo deve passar pelo processo de fermentação, onde são utilizados tanques de aço inox. A fermentação é um processo provocado por leveduras, que transformam o açúcar em álcool.

O processo de fermentação, muitas vezes, é agilizado com a adição de fubá e farelo de arroz ao caldo de cana, o que ajuda na multiplicação da levedura. Essa fermentação é feita em grandes tanques, normalmente de aço inox, que são chamados de dornas.

Finalizado o processo de fermentação, o líquido que se apresenta contém um teor alcoólico de apenas 12%, quantidade insuficiente para a concentração de álcool exigida para a cachaça como produto final.

Para que a cachaça alcance o teor alcoólico necessário, que pode variar entre 34 e 54%, é necessário que o líquido passe por um processo de destilação, uma das últimas fases na produção da cachaça.

O processo de destilação é feito através de alambiques, ou seja, caldeirões de grande tamanho, normalmente produzidos em cobre, que são aquecidos ao fogo, chegando a alcançar a temperatura de 78,3°C. Nessa temperatura, o álcool se evapora, subindo por uma coluna estreita, em temperaturas mais baixas, onde o álcool novamente se torna líquido, passando por uma serpentina resfriada.

Depois desse processo, a cachaça está praticamente pronta, chegando ao teor alcoólico necessário para o consumo. A etapa final se utiliza barris de carvalho, onde a cachaça passa por um processo de envelhecimento e, antes de ser envasada para ser entregue ao consumidor final, é estocada em tanques de aço inox, material que, por ser inerte, mantém as propriedades adquiridas durante o processo de produção.

O tanque de aço inox, portanto, é um equipamento de grande importância para a qualidade final da cachaça. Afinal, a bebida não é apreciada apenas no Brasil: hoje a exportação é uma das principais fontes de rendas dos grandes produtores.

O aço inox e suas utilidades na alimentação

Resultado de imagem para aço inox produção de alimentos

Não é de hoje que temos conhecimento de que o aço inox é uma descoberta que oferece diversos benefícios para uso nas mais variadas áreas de atividade humana. Desde a indústria de medicamentos, passando pela de alimentos e chegando à construção civil, o aço inoxidável vem se tornando cada vez mais utilizado.

Na indústria de alimentos, por exemplo, a utilização do aço inoxidável em tanques e outros equipamentos não é exigida, obrigatoriamente, mas sua aplicação vem sendo cada vez mais comum.

Em razão de suas características, produtos fabricados com aço inox estão sendo utilizados nos hospitais, nos hotéis e restaurantes e mesmo nas residências, onde encontramos o material em pias, eletrodomésticos e talheres, entre outras utilidades.

O aço inox é um material que oferece maior segurança, principalmente pelo fato de ser um produto de fácil limpeza e de rápida manutenção da higiene, já que evita contaminações de microrganismos e de outras substâncias nocivas à saúde humana.

Além da facilidade na higienização, o aço inoxidável é um tipo de material que apresenta maior resistência mecânica e à corrosão, resiste às maiores variações de temperatura e se mostra um material superior a qualquer outro, como aqueles produzidos com ferro, plásticos ou alumínio, por exemplo.

Diante de suas qualidades, o aço inox está sendo cada vez mais utilizado para a produção de equipamentos dos mais diversos usos, apresentando um aspecto que oferece higiene e modernidade, podendo entrar em contato com produtos de consumo sem qualquer contaminação.

O aço inox é um material inerte

Produzido através de uma liga de aço carbono, cromo e outros minerais, o aço inoxidável é inerte à maior parte das substâncias liberadas na produção de alimentos, como, por exemplo, os aditivos químicos. Sua composição não apresenta fissuras e essa característica evita o desenvolvimento de microrganismos, podendo ser utilizado para a produção de qualquer tipo de alimentos.

A sua característica inerte permite manter o sabor natural dos alimentos e suas qualidades nutricionais, principalmente nos produtos perecíveis, derivados de leite e bebidas. Para a indústria de alimentos, um dos principais benefícios oferecidos pelo aço inox é a facilidade de higienização.

Equipamentos produzidos a partir do aço inox apresentam registros comprovados de ausência de contaminação, de maior segurança e de neutralidade, tanto química quanto biológica, podendo ser utilizados no processamento de qualquer alimento ou bebida, oferecendo maior garantia de qualidade ao consumidor final.

Um dos fatores que tornam o aço inox o preferido para equipamentos industriais na produção de alimentos é sua durabilidade. A vida útil dos equipamentos fabricados com aço inox é maior do que qualquer outro tipo de material, oferecendo sempre a mesma qualidade.

Por todas as propriedades úteis apresentadas, os equipamentos de aço inoxidável são utilizados em toda a cadeia produtiva de alimentos, começando pelo processamento e passando pelo armazenamento e distribuição, levando ao consumidor final alimentos com as mesas características de sua fase final de produção.

Como se trata de um material adequado para a higiene e conservação, o aço inox também tem suas aplicações nos processos de cozimento e preparação de alimentos, sendo o mais indicado para restaurantes e cozinhas industriais.

Maior segurança para a saúde do consumidor

Uma das maiores preocupações por parte das empresas que oferecem produtos alimentícios ao consumidor final é a segurança alimentar que, inclusive, é regida por normas da Anvisa – Agência de Vigilância Sanitária.

As regras estabelecidas pela Anvisa exigem que os alimentos sejam produzidos em ambientes higienizados e seguros, impedindo qualquer tipo de contaminação que possa causar intoxicação nos consumidores. Os cuidados são necessários, uma vez que grande parte dos casos de transmissão de doenças ou contaminação é provocado pelos alimentos processados.

O aço inox, em razão de suas características, torna-se, portanto, o tipo de material recomendado para equipamentos de produção e de preparação de alimentos, oferecendo maior segurança e garantindo a saúde dos consumidores.

Tanque de aço inox para produção de sucos

Resultado de imagem para tanque de aço inox sucos

Um dos principais equipamentos para a indústria de sucos é o tanque de aço inox, utilizado principalmente na produção de sucos cítricos, que são um dos principais produtos exportados pelo Brasil.

Com a utilização do tanque em inox, o produto final mantém sua qualidade, mesmo que seja transportado para outros países.

Nosso país é, atualmente, um dos maiores produtores de sucos cítricos, com grande parte do produto final destinado a outros países. A utilização do tanque de aço inox nesse tipo de produção é que permite sua qualidade, aceita em praticamente todo o mundo.

As vantagens do tanque de aço inox na produção de sucos

Como se trata de um produto bastante perecível, que exige determinados cuidados durante a fase de produção e envasamento, o suco de laranja deve ser obtido através de controles de qualidade e de segurança determinados pela vigilância sanitária. Em razão das exigências, o tanque de aço inox se torna um equipamento imprescindível para as empresas produtoras.

A partir do momento em que as frutas chegam à indústria, começa o controle de qualidade, descarregando as laranjas em rampas que as levam para silos especiais, fabricados especialmente para protegê-las até que o suco seja extraído. De todas as cargas é retirada uma amostra para ser avaliada em laboratórios, onde recebem uma classificação.

A extração do suco de laranja é totalmente automática, passando pela lavagem das frutas, sua seleção e classificação de acordo com o tamanho, buscando extrair a maior quantidade de suco de cada fruta. O bagaço e as frutas descartadas são destinadas à produção de ração animal.

As laranjas, devidamente selecionadas, são encaminhadas para máquinas extratoras, equipamentos que separam o suco, o óleo obtido das cascas e os bagaços. Depois de extraído, o suco deve passar ainda por filtros e centrífugas, onde são eliminados os resquícios de polpa e sementes, deixando o suco pronto para ser comercializado.

Durante a extração, é aproveitado o máximo de cada fruta, com as sementes destinadas a subprodutos e o bagaço para ração animal. A produtora de suco também é responsável pela produção de óleo essencial de laranja, de aroma de laranja, de polpa para ração animal e de outros subprodutos.

Utilização do tanque de aço inox para o suco

O suco obtido das frutas é armazenado em tanque de aço inox de acordo com sua classificação. Obtém-se, dessa forma, o suco não concentrado de laranja, que é exportado em qualquer tempo, sem deixar de lado seu frescor e suas qualidades.

O tanque de aço inox é um tipo de equipamento que garante essas qualidades, mantendo o sabor original da fruta para atender às exigências do público consumidor, havendo a necessidade do acompanhamento do controle de qualidade.

Na exportação, o suco de laranja deve ser concentrado, passando por um resfriamento dentro do tanque de aço inox para garantir sua conservação. O mesmo tipo de material, o inox, também está presente nos tanques utilizados durante o período de manutenção do produto nas fábricas.

O tanque de aço inox também está presente nos caminhões tanque que levam o produto para os portos, de onde o suco é exportado para diversos países, com o mesmo padrão de qualidade oferecido ao consumidor brasileiro.

O aço inox é encontrado ainda nos navios, onde tanques de aço são instalados para garantir o mesmo padrão de qualidade até a entrega do suco nos países importadores.

Como vemos, o tanque de aço inox é um equipamento básico para a produção, conservação de manutenção da qualidade do suco de laranja produzido em nosso país e comercializado até mesmo em países do outro lado do mundo.