Por quantos processos a cerveja passa antes de ser vendida?

CervejaUma das bebidas mais apreciada no mundo, a cerveja está presente em muitas culturas e representa um importante item muito aliado à gastronomia. Aqui no Brasil, compete com o vinho na preferência de consumo, sendo um dos itens mais consumidos no tradicional ‘Happy Hour’.
Conhecendo o quanto esta bebida se faz importante na sociedade, saber um pouco mais sobre o seu processo de produção, também é necessário. Dessa maneira, na postagem de hoje, vamos mostrar um pouco mais do processo de produção desse item muito requisitado, principalmente em épocas mais quentes. Afinal, quem resiste a uma cerveja geladinha no verão?
Confira todo o procedimento no qual a cerveja passa antes de chegar até a sua roda de amigos:

Os princípios básicos
Inicialmente, para executar o processo de produção da cerveja, se faz necessário recorrer a três princípios fundamentais: a mostura, a fervura e a fermentação. Sendo os dois iniciais executados em modo sequencial, no primeiro dia mesmo. O terceiro processo, a fermentação, geralmente precisa de alguns dias e até semanas para concluir sua fase antes de termos acesso a bebida em si.
A seguir, explicamos detalhadamente como funciona cada uma das etapas para a produção da cerveja antes de ser disponibilizada para a comercialização.

1ª fase – a mostura
O método chamado de mostura, geralmente tem duração de 2 a 5 horas e é nele que são extraídos os açúcares fermentáveis, além de outros componentes bastante importantes para o malte.
Inicialmente, o malte passa por um processo em que é moído e, logo em seguida, misturado à água quente, numa temperatura que beira os 65ºC. Essa parte passa a apresentar uma água completamente preenchida com açúcares, que os fabricantes chamam de mosto. Logo em seguida, o malte moído restante passa por um processo de lavagem novamente com água quente, para que se possa extrair o que for possível dos açúcares ainda presentes nos resíduos.

2ª fase – a fervura
Nessa segunda etapa, o mosto, a água rica em açúcares, é colocada numa caldeira para passar pelo processo de fervura, por um período de 1 a 2 horas. É nessa fase que é adicionado o lúpulo em diversos momentos, onde será possível proporcionar algumas características escolhidas pelo cervejeiro, como paladar e aroma. Na sequência do processo, o mosto passa por um processo de separação do lúpulo, onde é resfriado, parte em que fica preparado para a fermentação.

3ª fase – a fermentação
É nessa etapa que a cerveja começa a ganhar forma. Com a adição do fermento ao mosto, se inicia o processo de fermentação, que irá transformá-la na cerveja como conhecemos. Nessa fase, a cerveja pode passar por diferentes métodos, com duração e temperaturas bastante variadas, como veremos a seguir:

  • Ale: conhecida como alta fermentação, pode durar de 5 a 10 dias, numa temperatura que varia entre 16 a 21ºC.
  • Larger: chamada como baixa fermentação, seu processo pode ter um tempo maior de duração e passar por diferentes processos. Primeiro, passa por uma inicial, numa temperatura de 10 a 13ºC, e na sequência, uma fase de maturação a 1ºC. Concluindo esse processo, a cerveja então é carbonatada e envasada.

 Outros métodos
Acima descrevemos o que seria a chamada ‘receita de bolo’ para começar a produzir a cerveja, porém, existem diversos métodos para se chegar ao resultado final, que incluem outros tipos de fermentação, além de outros tipos de ‘temperos’, para substituir o lúpulo, por exemplo.

Bônus
Além das três fases citadas acima, também apresentamos uma espécie de passo a passo que os cervejeiros utilizam na fabricação de cerveja. Veja:

  • O profissional, ou seja, o cervejeiro, faz uma combinação com vários tipos de grãos de malte e cevada, seguindo as orientações da sua receita;
  • Em seguida, ele mói o malte da cevada, rachando e abrindo ele, para extrair os amidos solúveis;
  • Após, o malte é transferido para um recipiente, onde realiza um processo de reação enzimática, em virtude da adição da água fervida, que transforma os amidos solúveis em açúcares para a fermentação;
  • Nesse processo, separa-se as cascas dos grãos do mosto, por meio de uma filtragem, que separa a cerveja dos resíduos sólidos;
  • Seguindo com a receita, o profissional aquece o mosto a uma temperatura predeterminada, em que adiciona os lúpulos amargos no início desse processo, e os de aroma, no final;
  • No processo seguinte, o mosto passa por um processo de resfriamento para que ocorra a fermentação adequada, por meio de um trocador de calor;
  • Feito isso, o cervejeiro adiciona as leveduras que irão transformar os açúcares do mosto em álcool e dióxido de carbono (gás da cerveja);
  • Em alguns casos, o profissional até realiza uma filtragem para que possam ser removidas algumas proteínas sólidas;
  • O processo seguinte chama-se envase, mas antes que ele aconteça, o profissional realiza uma nova filtragem para que qualquer levedura viva seja eliminada antes deste procedimento;
  • Após, basta passar por um processo de engarrafamento e ser distribuída para a comercialização.