O tanque de aço inox na fabricação de papel

O tanque de aço inox na fabricação de papel

Quem acompanha esse site já sabe que o tanque de aço inox é útil para indústrias dos mais variados segmentos. Hoje vamos falar de outra utilidade do tanque de aço inox, a fabricação de papel.

O papel foi inventado pelos chineses, a partir de um modelo de fabricação adaptado do papiro, inventando em 4000 a.C. pelos egípcios. Obviamente, o processo era muito artesanal e diferente do que é feito hoje pelas indústrias que utilizam de tanque de aço inox para papel. De acordo com os historiadores, quem é reconhecido até hoje pela invenção do papel é o chinês Ts’ai Lun, que foi ministro de vários imperadores durante o período em que a dinastia Han esteve sob o comando da China.

As primeiras fábricas de papel surgiram nas cidades de Damasco e Bagdá. Na Europa, a primeira fábrica de papel surgiu no ano de 1144 na Espanha. No final do século XVI o papel já era manufaturado em praticamente todo o continente europeu, sendo a Alemanha o grande líder do segmento até os dias de hoje.

No processo industrial, a fabricação do papel tem início no corte das árvores. Após serem cortadas, as árvores passam por um descascador e picador, de modo que fiquem na forma de pequenos cavacos.

Na segunda etapa do processo de fabricação, o cavaco passa por um tanque de aço inox para papel. Nesse tanque, os cavacos são cozidos em um líquido composto por água e diversos elementos químicos. O fruto desse trabalho, é o que se chama de polpa do papel. Há também a opção de se fabricar papel reciclável, nesse caso, o cavaco é substituído por papel usado picado em pequenos fragmentos. O papel reciclável é cada vez mais usado, por ser uma alternativa à derrubada de árvores. É importante lembrar, que obrigatoriamente por lei, as empresas que derrubam árvores para fabricar papel, devem reflorestar as áreas desmatadas.

A terceira etapa do procedimento de manufatura do papel também envolve tanque de aço inox para papel. Nessa fase, a polpa passa por um processo de lavagem, dentro do tanque. Após essa lavagem, a polpa é armazenada em outro tanque para que seja feita a separação da celulose de outros resíduos. É nesse processo, que o papel adquire a cor branca.

Na fase seguinte, a polpa passa por uma mesa plana, que a transforma em uma folha lisa. Essa folha passa por uma esteira num processo de secagem a ar seco.

A última fase da fabricação do papel, se dá quando a folha passa por uma enroladora, onde o papel fica em forma de bobinas. A seguir ele é seguido para o corte, nas mais diversas formas em que se encontra no mercado, com diferentes padrões de tamanho e gramatura. Em seguida, as máquinas empacotadeiras separam a quantidade de folhas em pacotes, que são distribuídas e vendidas no mercado.

Os papéis podem ser classificados, de acordo com sua finalidade, da seguinte forma: papel para impressão (acetinado, bíblia, bouffant, couché, imprensa, jornal, mimeógrafo, monolúcido e offset), papéis para escrever (apergaminhado, correspondência aérea e segundas-vias), papéis para embalagem, papéis para fins sanitários (toalha, higiênico, guardanapo e lenço), papéis especiais (base para carbono, cigarros, charutos e afins, crespado, para desenho, heliográfico, absorventes e filtrantes) e não classificados (para cabos elétricos, fios telefônicos e condensadores).

Observa-se assim, a importância do tanque de aço inox para a fabricação dos mais diversos tipos de papel. Ele é de demasiada necessidade para que possamos ter em mãos folhas de ofício, cadernos, agendas e outros materiais de papel que usamos em nosso dia a dia.